Vídeo: Nuno Cerqueira

Câmara também quer construir multiusos.

Redação
18 Outubro 2019

 

O polo de Esposende do Instituto Politécnico do Cávado e Ave (IPCA) deverá começar a funcionar no início do próximo ano letivo num edifício orçado em cerca de 2,5 milhões de euros.

Segundo apurou o Diário do Minho, o polo vai ficar situado em frente à Cooperativa Agrícola de Esposende, na entrada da cidade de Esposende à face a da EN103-1.

Na cidade de Esposende chegou-se a apontar o IPCA para as instalações do quartel da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Esposende (BVE), levando à deslocação dos bombeiros para junto do nó rodoviário da A28, situação que os bombeiros nunca viram com “bons olhos”.

A solução passou pela aquisição de um terreno, que para além de albergar o polo do IPCA, poderá ainda incluir o Multiusos de Esposende, servindo também de instalações definitivas do Centro de Negócios.

Desta forma, em tendo em conta que o canal de retenção de águas pluviais, já em construção, poderá ter no futuro uma via de escoamento de trânsito da EN13 paralela ao canal, Esposende passará a ter um novo eixo de desenvolvimento que ligará o parque urbano da cidade, polo do IPCA, estação rodoviária / GNR, e centro urbano das Marinhas.

Já quanto ao edifício do IPCA, Benjamim Pereira afirmou que o projeto está pronto e que dentro de “uma a duas semanas” a obra será lançada a concurso público.

“A obra poderá começar em janeiro e, se tudo correr bem, contamos que esteja concluída a tempo de o polo começar a funcionar logo no início do próximo ano letivo”, disse ainda.

Segundo Benjamim Pereira, no polo de Esposende do IPCA funcionarão uma Escola de Verão e cursos técnicos superiores profissionais ligados essencialmente à restauração e ao turismo.

Com sede em Barcelos, o IPCA já tem polos em Braga, Guimarães e Vila Nova de Famalicão.


Outros Vídeos

Scroll Up