Fotografia: Nuno Cerqueira

Boicote eleitoral em Cabeceiras de Basto leva a intervenção da GNR

Eleições presidenciais. Boicotes.

Nuno Cerqueira
24 Jan 2021

A GNR foi chamada a intervir hoje de manhã para abrir portões de uma mesa de voto no concelho de Cabeceiras de Basto. A situação ocorreu na freguesia de Cavez, no lugar de Moimenta, na antiga escola primária. No local eram visíveis cartazes de protesto de um grupo de habitantes que reclama «o alargamento da estrada municipal e um maior investimento da câmara naquele local».

«O povo de Moimenta quer o alargamento das curvas da estrada municipal» e «Para onde foi o dinheiro que a Iberdrola deu à Câmara? Aqui não veio ter nenhuma obra», eram algumas das frases escritas nos cartazes.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por E24 (@e24.pt)

Segundo o presidente da junta local, quando os elementos da mesa de voto chegaram deparam-se, não só com a imprensa pré-avisada no local, mas também com portões cerrados a cadeado e dois cartazes onde estavam escritos o motivo dos protestos.

Com recurso a uma rebarbadora, o cadeado foi cortado, enquanto um elemento da GNR removia os cartazes.

«As urnas abriram praticamente às 08h00», confirmou Paulo Guerra, autarca local, adiantando ainda que a situação se trata «de um ato isolado e que não tem razão de ser».

«A reivindicação é legítima e é uma necessidade para a população. Mas a obra de alargamento está já em orçamento municipal há dois anos e só não avançou ainda porque iria implicar constrangimentos ao trânsito numa altura em que ainda decorrem as obras da barragem», frisou.

Já Francisco Pereira, um dos habitantes locais, referiu que o objetivo do protesto é «sensibilizar o Município e o próximo presidente da República para o que se está a passar aqui em Moimenta».

«Queremos obras de alargamento da estrada municipal 518, que liga a Estrada Nacional 206 a sete lugares: Rabiçais, Moimenta, Cunhas, Vilar, Torneiro, Samão e Gondiães. Com as obras da barragem de Daivões este lugar foi muito prejudicado e o dinheiro da Iberdrola não está a ser investido aqui», destacou Francisco Pereira.

Nesta secção de votos estão inscritos 320 pessoas.

 





Notícias relacionadas


Scroll Up