Fotografia: Avelino Lima

Sacerdotes desafiados a exercerem o seu ministério com o coração

Arcebispo de Braga presidiu hoje à Missa Crismal na Cripta do Sameiro

Jorge Oliveira
1 Abr 2021

O Arcebispo Primaz de Braga exortou hoje o presbitério, na Missa Crismal, a que presidiu na Cripta do Sameiro, a exercer o seu ministério com o «coração», transmitindo «alegria» e assumindo a «responsabilidade de ser pai», tomando como modelo S. José.

«Não é suficiente o funcionalismo, talvez modelarmente organizado e modernizado, com tudo minuciosamente considerado. Não basta um estatuto a defender, nem ser funcionário competente e aberto a todas as formas de modernidade», assinalou.

Segundo o Arcebispo de Braga, o sacerdócio deve ser exercido com o coração no sentido da «compaixão», ou seja, com «proximidade, dedicação, capacidade de se deixar comover pelos dramas e dores, ternura, carinho, solicitude, presença», mas também no sentido de «colocar paixão, entusiasmo, ardor, sentido de entre-ajuda, generosidade, gratuidade, ir até às últimas consequências, sempre com alegria».

D. Jorge Ortiga presidiu à Missa Crismal e Bênção dos Santos Óleos com a presença de um grande número de padres da Arquidiocese que renovaram as suas promessas sacerdotais.

Nesta cerimónia, no dia em a Igreja lembra o início da Paixão do Senhor , o prelado consagrou os Óleos que nas comunidades paroquiais serão usados durante o ano para ungir os baptizandos, os crismandos e os doentes.

O presbitério recordou, neste celebração, os sacerdotes jubilados, recém-ordenados e falecidos.

A Missa Crismal, na qual se celebrou a instituição do sacerdócio, a instituição da Eucaristia e a agonia de Jesus e o Seu julgamento,  decorreu de acordo com as regras sanitárias emanadas pelas autoridades de saúde e da Conferência Episcopal Portuguesa.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up