Fotografia: DR

“Bênção Pascal” por Internet em Famalicão substitui a tradicional visita pascal

D. Nuno Almeida explica que a bênção pascal via internet é uma “situação original e inédita” na Arquidiocese de Braga.

Redação/Lusa
3 Abr 2021

A tradicional visita pascal, efetuada pelo pároco no domingo de Páscoa, a cada uma das casas dos católicos, será feita este ano através da Internet, via Zoom, em duas paróquias minhotas.

Os católicos das paróquias de Santo Adrião, na cidade de Famalicão, e da de S. Martinho de Brufe, nos arredores, devem inscrever-se em https://zoom.us/meeting/register/tJUrc-GvqT4tGNyCMt1sM-y8Pj6KUu5WvPZE, para receber as indicações de como aceder ao “zoom” para receber a “bênção pascal”, disse à agência Lusa o padre Francisco Carreira.

Francisco Carreira afirmou que a ideia de uma bênção pascal via Internet, em vez do tradicional Compasso Pascal, que percorria as ruas entrando nas residências e benzendo-as, surgiu face às atuais circunstâncias de confinamento, todavia, realçou que os novos meios tecnológicos “são um complemento e nunca poderão substituir” os ritos religiosos ou a presença e acompanhamento do sacerdote.

Para esta bênção pascal, via Internet, já se inscreveram “cerca de 100 famílias”, um número “bem mais pequeno”, do alcançado em anteriores Páscoas, em que o compasso saiu à rua, disse o sacerdote.

Devido às restrições decretadas no âmbito do confinamento, várias paróquias do país têm recorrido à Internet para a transmissão de serviços religiosos, como missas ou a recitação do terço.

O bispo auxiliar de Braga, Nuno Almeida, em declarações à Lusa, disse que a bênção pascal via internet é uma “situação original e inédita”, na arquidiocese de Braga, não se conhecendo outras do género.

Nuno Almeida reconheceu “a importância da utilização de novos meios para espalhar” a fé, e afirmou que deve “haver um investimento na valorização” desses meios de comunicação e para a sua procura, mas salientou “a experiência vivida que é a fé”, um “encontro pessoal” e a “partilha” que promove com a comunidade cristã.

“A liturgia não é apenas a repetição de ritos ancestrais, todos com o seu significado, é uma experiência pessoal”, disse o bispo auxiliar de Braga.

Nuno Almeida referiu à Lusa “a alegria” que tem “visto nos olhos de muitos católicos” nesta Páscoa, por se ter realizado algumas cerimónias do tríduo pascal, ao contrário da do ano passado, “que ficou num nevoeiro, e os católicis sentiram-se um pouco perdidos”.

O tríduo pascal corresponde aos três dias antecedentes ao domingo de Páscoa: a Quinta-feira Santa, em que se realiza a cerimónia do lava-pés, a Sexta-feira da Paixão, com tradicional cerimónia de beijar a cruz e, o Sábado, com as cerimónias de vigília.

O prelado considerou que os novos meios “podem ser um complemento” e corresponderem às necessidades sentidas durante os períodos de confinamento, mas não substituem a presença e o conforto espiritual do sacerdote.





Notícias relacionadas


Scroll Up