Vídeo: Nuno Cerqueira

«Este tipo de mensagens de ódio em que se procuram colocar uns contra os outros é propositada e colocam a missão dos democratas cristãos como perene na acção política dos verdadeiros valores que sempre orientaram Portugal», afirma Francisco Mota.

Nuno Cerqueira
4 Abril 2021

Um outdoor da Juventude Popular, colocado numa rotunda do nó de Ferreiros de acesso à Circular Urbana de Braga foi vandalizado hoje de madrugada.

Recorde-se que esta madrugada também várias paredes de Igrejas, ruas e o memorial Cónego Melo foram pichados (ver aqui).

O cartaz, onde é visível o ex-líder da JP nacional, Francisco Mota, e a líder da JP de Braga, Renata  Faria, foi pichado com uma cruz na imagem de Francisco Mota.

Ora,  o próprio Francisco Mota já reagiu à situação referindo que «a cidade acordou com vários espaços de culto vandalizados, com mensagens ideológicas, a par do outdoor onde apareço», destacando que «ao longo dos últimos meses a cidade e o país tem assistido a uma tentativa de afirmação da agenda do experimentalismo social patrocinada pela extrema esquerda sobretudo pelo comunismo».

«A história ditou que este tipo de visão de sociedade não vingasse em Braga. Mas também foi sempre na cidade dos Arcebispos, que o comunismo encontrou os seus maiores opositores. Numa clara alusão ao fascismo, nazismo e ao regime ditatorial procuraram colar os democratas cristãos ao lado de regimes totalitários, que não respeitam os princípios de liberdade e democracia», frisou.

Francisco Mota disse que «lamentavelmente, procuram impor aos bracarenses e aos portugueses aquilo que eles próprios patrocinam».

«Democratas cristãos e homens de direita, serão sempre baluartes do combate ao comunismo e ao fascismo, porque as ditaduras de esquerda ou de direita não respeitam o indivíduo, procuram a exploração do estado pelo cidadão e não colocam a pessoa como centro da acção política. Há uma agenda ideológica com o objetivo de condicionamento de liberdade de cada um e ainda de destruição da nossa história, cultura e tradição. Este tipo de mensagens de ódio em que se procuram colocar uns contra os outros é propositada e colocam a missão dos democratas cristãos como perene na acção política dos verdadeiros valores que sempre orientaram Portugal», destacou, acrescentando que «preparemo-nos para um novo 25 de novembro».


Outros Vídeos

Scroll Up