Vídeo: Miguel Viegas

Oferta de saúde e bem-estar promovida junto das comunidades portuguesas.

Luísa Teresa Ribeiro
6 Abr 2021

As Termas do Porto e Norte de Portugal querem cativar as comunidades portuguesas espalhadas pelo mundo, com destaque para os lusodescendentes.

O arranque desta operação de charme junto da diáspora decorreu através de uma sessão online, intitulada “Um inspirador (re)encontro das Comunidades Portuguesas com os Saberes e Sabores do Porto e Norte de Portugal”.

Promovido pelo Turismo do Porto e Norte de Portugal, Associação das Termas de Portugal e Associação Internacional dos Lusodescendentes, o “wellnessbinar” divulgou a renovada imagem do termalismo da região, apresentando esta oferta como uma opção atrativa no âmbito do segmento da saúde e bem-estar.

O presidente da entidade regional de turismo afirmou que o objetivo é envolver os lusodescendentes «como parceiros muito importantes» para ajudarem a afirmar a região na área do termalismo.

Luís Pedro Martins revelou que está a ser trabalhada «de forma profícua» com a Associação das Termas de Portugal e a Associação Internacional dos Lusodescendentes «uma estratégia de atuação para o pós-Covid no âmbito do turismo de saúde e bem-estar».

Este responsável destacou «a forte correlação que existe entre os países que são os maiores mercados emissores para o Porto e Norte de Portugal e o número de portugueses e de lusodescendentes a viver nesses mesmos países». «Por isso, queremos colocar as comunidades de lusodescendentes no centro da nossa promoção, abrindo a porta a um novo tempo, que valorize os afetos e os lusodescendentes, que têm no ADN o pulsar e a alma portuguesa», afirmou.

O dirigente do Turismo do Porto e Norte assegurou que o programa que está a ser desenhado quer «valorizar as comunidades portuguesas», demonstrado que «são muito bem-vindas à região e que poderão ser portadoras do seu testemunho junto dos países de acolhimento». «O desafio que colocamos é ter as nossas comunidades como clientes e como parceiras», disse.

Luís Pedro Martins explicou que há a preocupação de juntamente com as termas promover outras áreas, que permitem «criar produtos compósitos, que são marcas diferenciadoras e de grande qualidade», como os vinhos, a gastronomia ou o património. A região destaca a «panóplia de produtos turísticos complementares existente no território», nomeadamente a oferta cultural, as caminhadas, as paisagens ou os Caminhos de Santiago.

Mercados como França, Suíça, Luxemburgo ou Alemanha são o alvo preferencial das Termas do Porto e Norte, mas também casais jovens, famílias com crianças e pessoas com mais de 55 anos que procuram programas de equilíbrio físico e mental.

DR

Evento terminou com um brinde com água, assinalando os 150 anos das Pedras Salgadas.

 

Governo incentiva investimento da diáspora

DR

A secretária de Estado das Comunidades Portuguesas elogiou o trabalho conjunto que está a ser feito para promover as Termas do Porto e Norte, destacando que as comunidades portuguesas são importantes como clientes e embaixadoras da marca, mas também como potenciais investidoras.

Berta Nunes explicou o Conselho de Ministros aprovou, em agosto do ano passado, o Programa Nacional de Apoio ao Investimento da Diáspora, que prevê medidas transversais a vários ministérios, incluindo para a área do turismo.

A governante lembrou que foi criado o estatuto de investidor da diáspora e que existe o Gabinete de Apoio ao Investidor da Diáspora. Neste âmbito, revelou que já foram atribuídos 160 estatutos de investidor da diáspora. Dos 72 empresários que apresentaram processos, 27 (38 por cento) dos projetos são na área do turismo. Em termos monetários, 48 por cento do valor do investimento potencial é na área do turismo.

Esta responsável assegurou que a Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas está empenhada trabalhar com a área do turismo, no sentido de atrair investimento, promover as exportações, criar emprego e ajudar na retoma da econmia nacional.

 

Região tem oferta «do melhor que existe a nível europeu»

DR

O presidente da Associação das Termas de Portugal assegurou que a região Norte tem uma «oferta qualificada e do melhor que existe a nível europeu» em matéria de termalismo.

Victor Leal referiu que existe uma tradição termal muito forte em países como França, Luxemburgo, Alemanha ou Suíça, pelo que muitos emigrantes portugueses são frequentadores assíduos de estabelecimentos termais nas suas terras de acolhimento. «O que propomos é que façam das Termas do Porto e Norte de Portugal um destino de eleição», afirmou.

Este responsável revelou que está a ser ajustada a oferta para que os emigrantes possam fazer em Portugal os tratamentos termais que lhes forem prescritos, através dos seus seguros ou da articulação dos serviços nacionais de saúde, mas também venham a usufruir da vertente de lazer quando regressam de férias.

O dirigente enfatizou que o objetivo é que as comunidades portuguesas sejam clientes, mas também embaixadoras deste produto nos países onde se encontram.

 

Oportunidade para valorizar as comunidades portuguesas

DR

O diretor de comunicação da Associação Internacional dos Lusodescendentes, José Governo, destacou que o plano de promoção das Termas do Porto e Norte é uma «oportunidade para promover Portugal no mundo, mas também para valorizar as comunidades portuguesas», uma vez que esta ação foi desenhada especificamente para elas.

«Muitas vezes, as comunidades portuguesas lá fora sentem-se secundarizadas e desvalorizadas. Aqui, trata-se de um programa direcionado exclusivamente para as comunidades, no sentido de lhes passar a mensagem da qualidade fantástica das nossas termas, dando-lhes a oportunidade de usufruírem delas», afirmou.

 

Emanuel disponível para servir de catalisador

DR

O cantor Emanuel mostrou-se disponível para ser o «catalisador» de um plano que promova o termalismo como uma opção de saúde e bem-estar junto das comunidades portuguesas espalhadas pelo mundo.




Outras Reportagens


Scroll Up