Fotografia: DR

Festa do Alvarinho e do Fumeiro reinventa-se para levar visitantes a Melgaço

Evento decorre nos dois próximos fins de semana.

Luísa Teresa Ribeiro
4 Mai 2021

A Festa do Alvarinho e do Fumeiro de Melgaço vai decorrer nos fins de semana de 7 a 9 e de 14 a 16 de maio, num formato adaptado aos tempos de pandemia. Em vez da tradicional tenda com os expositores, o certame reinventou-se para propor a descoberta do território, através de visitas aos produtores e da degustação das delícias locais nos restaurantes do concelho.

Depois de em 2020 ter celebrado os 25 anos numa versão online, o emblemático evento de Melgaço volta este a ano a ter uma edição física, pensada de forma a garantir que os visitantes possam apreciar o Alvarinho e o fumeiro em segurança.

Os visitantes vão encontrar, no Largo Hermenegildo Solheiro, junto aos Paços do Concelho, um mercado onde poderão obter informações sobre o evento e comprar vinhos, fumeiro e produtos locais. O espaço vai estar organizado em formato de circuito, para que as pessoas possam circular sem haver aglomerações.

Esta será uma espécie de “porta de entrada” a convidar os visitantes para se deslocarem até aos produtores, que vão estar de portas a abertas, permitindo visitas às instalações e degustações.

Nos restaurantes, vai ser privilegiada a harmonização entre o Alvarinho e os produtos locais.

Temos uma Festa do Alvarinho e do Fumeiro num formato alternativo, por isso fica o convite para que visitem Melgaço nos fins de semana de 7 a 9 e de 14 a 16 de maio. Venham visitar os nossos produtores e a nossa restauração, com todas as condições de segurança. Manoel Batista

«Não há condições para repetir o formato em que decorria a Festa do Alvarinho e do Fumeiro antes da pandemia, juntando milhares de pessoas num espaço fechado. Por isso, o que estamos a fazer é reinventar a Festa», afirma o presidente da Câmara Municipal de Melgaço em declarações ao Diário do Minho.

Manoel Batista explica que, em vez de um espaço fechado com todos os expositores, todos aqueles que habitualmente iam à Festa do Alvarinho vão ter este ano o «território para visitar e a restauração distribuída desde Castro Laboreiro à zona baixa de Melgaço, junto ao rio, para descobrir».

«Em vez de serem os produtores a irem ter com os visitantes num recinto único, o público é convidado a ir ter com os produtores. A Festa acontece na nossa restauração e nos nossos produtores de vinho, fumeiro, queijo e de produtos locais que queiram entrar nesta aventura de levar o público até si em segurança», enfatiza.

O autarca refere esta reinvenção do certame imposta pela pandemia também cria «novas oportunidades», designadamente a possibilidade do estabelecimento de uma ligação afetiva entre os produtores e os visitantes, que permita criar novos canais de comercialização dos produtos locais.

«É uma excelente oportunidade para criar novos laços entre os visitantes e os nossos produtores, fidelizando clientes, que depois continuem a adquirir os produtos, seja diretamente ou nos locais onde estejam disponíveis, incluindo online, por exemplo no Vale do Minho Marketplace», destaca.

O edil lembra o peso do setor do vinho economia local, considerando que os produtores têm sido «brilhantes na criação de grandes vinhos». Este responsável elogia o «excelente percurso» da sub-região Monção-Melgaço na afirmação deste território como um espaço com vinhos de qualidade, lembrando que a Festa do Alvarinho também está aberta a produtores de Monção.

Manoel Batista adianta que não tem expetativas em relação ao número de visitantes, mas espera que o evento atraia «muita gente», de forma a impulsionar a comercialização de Alvarinho e dos produtos locais e a esgotar a restauração e o alojamento, dinamizando a economia do concelho. «Esta é uma forma nova de fazer a Festa, mas consideramos que vai correr bem e ser um grande sucesso», perspetiva.

Os vinhos e os produtos locais também podem ser adquiridos online.

Produtores preparam programas para receber visitantes

Os produtores estão a preparar programas especiais para a Festa do Alvarinho e do Fumeiro adaptada aos tempos de pandemia. Berço do primeiro Alvarinho com marca de Melgaço, a Quinta de Soalheiro vai estar de portas abertas com quatro horários disponíveis (10h00, 12h00, 14h30 e 16h30) e um número limite de 12 pessoas por horário, para garantir todas as condições de segurança.

Paralelamente, segundo uma nota de imprensa enviada ao Diário do Minho, lançou o conjunto “Festa do Alvarinho 2021”, que inclui  dois vinhos, fumeiro, queijo, uma t-shirt com a inscrição “Território” e um voucher para visita à quinta. O pack pode ser adquirido na loja online do produtor.





Notícias relacionadas


Scroll Up