Fotografia: CIM Cávado

Terras de Bouro entregou candidatura da Geira Romana a Património da Humanidade

Este troço português da via romana, que atravessa o Parque Nacional da Peneda-Gerês, tem 140 marcos miliários inventariados.

Redação/Lusa
13 Mai 2021

A Câmara de Terras de Bouro já entregou o processo de candidatura da Via XVII a Património da Humanidade à Comissão Nacional da UNESCO, esperando agora que aquela Geira Romana conste na atualização da Lista Indicativa Portuguesa.

Em comunicado na sua página oficial, aquela autarquia do distrito de Braga refere hoje que a candidatura da Geira a Património da Humanidade pretende “classificar, promover e valorizar a Via Romana (Geira), pois apresenta-se como um recurso cultural de inestimável valor, devido à sua extensão no concelho”.

A Via XVII do Itinerário de Antonino, que ligava Bracara Augusta (Braga) a Asturica Augusta, em Astorga, em Espanha, ao longo de 240 milhas romanas, tem cerca de 318 quilómetros e é, segundo informação que consta na referida candidatura, “uma das estradas romanas melhor conservadas e mais investigadas do noroeste da Península Ibérica, encontrando-se a secção portuguesa, na qual se inclui o troço no território do concelho de Terras de Bouro, entre as milhas XIV e XXXIV”.

Em declarações à Lusa, o presidente da Câmara de Terras de Bouro, Manuel Tibo, referiu que a classificação da Geira como património mundial é “um grande passo para garantir a conservação” daquele bem e “uma forma de colocar Terras de Bouro numa rota cultural única”.

Classificado em 2012 como Monumento Nacional pela Direção-Geral do Património Cultural, aquele troço português da via romana, que atravessa o Parque Nacional da Peneda-Gerês, tem 140 marcos miliários inventariados, dos quais 102 se conservam ‘in loco’, “a maioria deles com epígrafes que dão testemunho das políticas regionais promovidas pelo Império Romano”.





Notícias relacionadas


Scroll Up