Fotografia: Jorge Oliveira

D. Jorge Ortiga desafia Balasar a tornar Alexadrina mais conhecida

Arcebispo de Braga presidiu a um conjunto de atos em dia histórico para a comunidade paroquial

Jorge Oliveira
25 Jul 2021

O Arcebispo de Braga desafiou hoje a comunidade de Balasar e não só a tornar o nome da Beata Alexandrina ainda mais conhecido.

«É fundamental que haja um envolvimento de todas as entidades para que, efetivamente, o nome da Beata Alexandrina seja conhecido e possa ser presenciado o lugar onde ela viveu, como ela viveu e como cresceu», disse D. Jorge Ortiga.

O prelado falava no lançamento da primeira pedra do Centro Pastoral Social Paroquial e Capela da Vida, de Balasar, um obra orçada em 1,6 milhões de euros.

D. Jorge Ortiga disse que Alexandrina da Costa nasceu em Balasar, Póvoa de Varzim, e tem o nome da sua terra, mas desde que foi beatificada, em 2004, pelo Papa João Paulo II, deixou de ser só de Balasar, e com a canonização, que poderá acontecer em breve, passará a ser do mundo inteiro. Pelo que a paróquia, «tem que ter orgulho e vaidade em ter oferecido à Igreja esta sua filha» e tem que se «envolver ainda mais para que Alexandrina seja conhecida».

Mas para que isto aconteça, acrescentou o Arcebispo, a paróquia de Balasar «terá que crescer enquanto paróquia», de tal modo que os muitos peregrinos que irão passar pelo futuro Santuário Eucaristico em honra da Beata possam encontrar uma «paróquia viva, dinâmica, com espírito, aquela que alimentou Alexandrina há uns tantos anos».

Neste contexto, D. Jorge Ortiga realçou a importância do Centro Pastoral Social Paroquial para o desenvolvimento da paróquia.

«Hoje a vida de uma paróquia tem que girar à volta do espaço que a envolve mas particularmente de um centro paroquial, porque é aqui que os cristãos se vão formando através da catequese, e os jovens sentem também a alegria do chamamento de Cristo, e os casais se encontram como casais e todos os outros movimentos e obras também se alimentam», explicou.

A comunidade paroquial de Balasar viveu hoje um dia solene e histórico. Numa só tarde foi lançada e benzida a primeira pedra do Centro Pastoral Social Paroquial e Capela da Vida, lançado o concurso internacional para a construção do Santuário Eucarístico em honra de Alexandrina, inauguradas as obra da Igreja e inaugurado o espaço “Escola, Jesus Mestre” na Casa da Beata Alexandrina.

O Arcebispo de Braga presidiu a todos estes atos e ainda participou na apresentação do volume IV das Obras Completas Alexandrina Maria da Costa – Complemento ao Diário Autógrafia, seguida de uma conferência com o tema “A imagem de Deus na Autobiografia de Alexandrina”, por José Carlos Carvalho, professor na Universidade Católica do Porto.

Estiveram também o presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, o presidente da Junta de Freguesia de Balasar e outros convidados.

O pároco de Balasar, o padre Manuel Casado Neiva, lembrou que a paróquia já aguardava por este momento «histórico» há um ano e meio, mostrando-se confiante de que a obra hoje lançada vai «animar ainda mais» a fé dos paroquianos.

A obra do Centro Pastoral Social Paroquial e Capela da Vida começa a ser construída em setembro tendo a obra um prazo de execução de um ano.

Santuário Eucarístico
construído em 18 meses

O Santuário Eucarístico em honra da Beata Alexandrina terá um prazo de construção de um ano e meio, foi revelado na sessão de lançamento do concurso público internacional, que teve lugar na igreja de Balasar.

O complexo religioso vai ser implantado num terreno com cerca de 37 mil m2, próximo da Casa da Beata Alexandrina, mas ainda não há data previsível para o início da empreitada, nem estimativa em relação ao investimento.

Ribeirinho Soares, engenheiro encarregado do projeto, disse que a fase do concurso internacional terá uma duração estimada de cinco meses, ou seja, até ao fim do corrente ano. Depois haverá o período de análise das propostas e seleção da proposta vencedora. Só nessa altura será conhecido o preço da construção.

 





Notícias relacionadas


Scroll Up