Espaço do Diário do Minho

Evolução do desporto no setor feminino

29 Out 2021
Luís Covas

Há vários anos que nos interrogamos porque é que não há mais mulheres no desporto, quer sejam praticantes ou simplesmente espectadoras?

A essa pergunta não será fácil de responder visto que para além de questões de cariz cultural a vida familiar (mãe/esposas) tem um peso significativo na contabilização percentual em ser inferior ao masculino. O desporto, assim como a vida, não é só de uma cor. É muito mais do que isso. A sua diversidade consiste na alegria, na festa, na diversão, no convívio, no fazer dos jogos um tempo e um lugar de encontro.

E as mulheres gostam disso? É evidente que muitas gostam, outras talvez não tenham tanta propensão para isso. Infelizmente a participação da mulher no desporto é, ainda, desvalorizada, muito porque o modelo de organização desportiva, no passado, foi idealizado para os homens, visto que as mulheres não eram tidas em conta.

Então se contabilizarmos os dados no alto rendimento, a taxa de participação feminina é cerca de 35% por cento, valores que equivalem a cerca de duas vezes menos que a dos homens. É preciso inverter esta tendência, não chegam medidas simbólicas, por muita importância que tenham.

Temos de eliminar o preconceito e a desigualdade de oportunidades entre mulheres e homens. O desporto pode, e deve ser um exemplo de integração e de afirmação da mulher na sociedade.

Apenas um em cada 10 treinadores e um em cada 10 árbitros são mulheres. A quantidade e qualidade estão em crescimento e devemos, com os valores intrínsecos ao desporto, fazer a diferença pela positiva, promovendo a valorização da mulher na sociedade.

Enquanto atleta, é nos desportos individuais que a mulher tem um maior reconhecimento pelas suas performances, mas há muito que nas modalidades coletivas existe qualidade e que a competição substituiu o lazer.

Não se pode ignorar o trabalho de tantas jovens e mulheres, nem o sacrifício com que o fazem. Atletas como Telma Monteiro, Patrícia Mamona, Sara Moreira e Auriol Dongmo são os nomes de algumas atletas nacionais que se evidenciaram e ganharam destaque nas suas modalidades desportivas. Exemplos de superação, trabalho e talento levaram-nas a que hoje sejam referências incontornáveis do desporto português.

No andebol, futebol e futsal temos assistido a uma evolução fantástica, tendo no futsal conseguido, esta semana, o apuramento para o Europeu de 2022. Hoje já competem com qualquer outra seleção do mundo. A comunicação social também não trata, com igualdade as performances do desporto feminino comparado com o masculino.

No dirigismo, os casos de mulheres com funções dirigentes nas organizações desportivas ainda são escassos mas já começam a ser diminuídas essas diferenças.

Os cargos devem ser ocupados pelo mérito. E existem muitas mulheres que o têm. Apesar do aumento gradual da sua participação no desporto, as mulheres continuam sub-representadas nos órgãos de decisão das instituições desportivas a nível local, nacional e internacional.

O desporto é muito mais bonito e melhor com elas!..



Mais de Luís Covas

Luís Covas - 21 Jan 2022

Existe a crença generalizada de que fazer desporto faz bem à saúde das crianças, por isso, são cada vez mais os pais que apostam no desporto como forma de ocupação dos tempos livres dos seus filhos, pois reconhecem que este veicula um conjunto de valores e virtudes. Realizar atividade física, seja em que idade for, […]

Luís Covas - 24 Dez 2021

Numa altura em que a pandemia volta a agravar-se vem-nos à memória a forma como poderemos combater esta praga que nos atormenta há quase dois anos. Se o desenvolvimento do desporto na sociedade moderna é uma questão atual de grande importância, para um estilo de vida saudável, pode-se argumentar que o desporto, ao desempenhar essa […]

Luís Covas - 10 Dez 2021

Frequentemente os treinadores costumam afirmar que quando as equipas ganham são os jogadores os obreiros da vitória, mas quando perdem invertem o discurso e assumem a responsabilidade da derrota. Os êxitos e os fracassos medem-se pelos resultados, ainda que ganhar nem sempre signifique trabalhar bem. As variáveis que caracterizam as modalidades coletivas têm situações incontroláveis […]


Scroll Up