Fotografia: DR

Centros abertos 5, 8, 12 e 19 de dezembro para vacinar maiores de 50 que apanharam vacina da Janssen

A DGS decidiu também encurtar o intervalo entre a segunda dose e a terceira de seis para cinco meses, bem como administrar um reforço aos mais de 65 anos, profissionais de saúde, do setor social e bombeiros que tenham recuperado da doença e recebido uma dose.

Pedro Vieira da Silva / Lusa
24 Nov 2021

– Os centros de vacinação vão estar abertos nos dias 05, 08, 12 e 19 dezembro para vacinar a população com mais de 50 anos a quem foi administrada a vacina da Janssen contra a covid-19, anunciou hoje o Governo.

Em conferência de imprensa, o secretário de Estado Adjunto e da Saúde afirmou que serão vacinadas as 1,5 milhões de pessoas que já estavam previstas até dezembro, com o reforço das respetivas vacinas, como também será alargada progressivamente a vacinação contra a covid-19 para os cidadãos que “agora fazem parte do plano, de modo que em janeiro 2,5 milhões de pessoas estejam vacinadas”.

“Para tal vamos ter os centros de vacinação abertos nos dias 05, 08, 12 e 19 dezembro para vacinar a população com mais de 50 anos a quem foi administrada a vacina da Janssen”, disse António Lacerda Sales.

Segundo o secretário de Estado, são mais de 250 mil pessoas nestas circunstâncias, sendo os restantes progressivamente agendados por faixa etária até janeiro.

Na semana passada, a Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou que as pessoas a partir dos 18 anos que receberam a vacina contra a covid-19 da Janssen vão poder receber uma dose de reforço após 90 dias da administração da primeira.

A dose de reforço será da vacina da Pfizer ou da Moderna, estando elegíveis cerca de um milhão de pessoas.

O secretário de Estado revelou também que o Ministério da Saúde está a rever plano de vacinação para que todo o universo de novos elegíveis seja integrado.

“Não está só a ser feito um levantamento das necessidades de reabertura de novos centros de vacinação, como de reforço de trabalho em estreita parceria com as autarquias e setor social que têm contribuído para o sucesso da vacinação em Portugal”, disse.

A Direção-Geral da Saúde decidiu também encurtar o intervalo entre a segunda dose e a terceira de seis para cinco meses, bem como administrar um reforço aos mais de 65 anos, profissionais de saúde, do setor social e bombeiros que tenham recuperado da doença e recebido uma dose.





Notícias relacionadas


Scroll Up