Fotografia: Avelino Lima

Congregados e S. Lázaro iluminam-se de vermelho pelos cristãos perseguidos

Monumentos aderiram à iniciativa Redweek, da responsabilidade da Fundação AIS ACN – Ajuda à Igreja que Sofre.

Carla Esteves
24 Nov 2021

A Basílica dos Congregados e a Igreja Paroquial de S. Lázaro são dois dos monumentos bracarenses que estão iluminados de vermelho, como forma de chamar a atenção da opinião pública para o drama da perseguição contra os cristãos e a importância de se garantir a liberdade religiosa.

Os dois monumentos aderiram assim à iniciativa Redweek, da responsabilidade da Fundação AIS ACN – Ajuda à Igreja que Sofre, que todos os anos, em sintonia com os outros secretariados da instituição em todo o mundo.

São centenas de catedrais, igrejas, capelas, monumentos e edifícios públicos de relevo que se “vestem” com esta cor que pretende simbolizar o sangue dos mártires e que em 2021 pretende ainda lançar um grito de alerta acerca do drama dos deslocados e refugiados.

Esta não é a primeira vez que a Basílica dos Congregados se associa a esta iniciativa, que este ano decorre de 17 a 24 de novembro, mas esta é a primeira vez que a Igreja Paroquial de S. Lázaro se associa a esta iniciativa, que também iluminará de vermelho o Santuário de São Bento de Porta Aberta

O pároco de S. Lázaro, cónego Roberto Rosmaninho Mariz disse ao Diário do Minho que a paróquia adere pelo primeiro ano a esta iniciativa precisamente enquanto «um gesto simbólico para demonstrar a comunhão e a vivência com os cristãos perseguidos».





Notícias relacionadas


Scroll Up