Fotografia: DM

Associação de Apoio ao Recluso pede obras urgentes na cadeia de Braga

Grupo de reclusos denuncia más condições de habitabilidade.

Jorge Oliveira
12 Jan 2022

 Associação Portuguesa de Apoio ao Recluso (APAR) vai pedir às entidades com responsabilidade no Sistema Prisional uma «intervenção urgente» nas instalações na cadeia de Braga, depois de ter sido contactada por um grupo de reclusos que se queixou das condições de habitabilidade em que se encontram a cumprir pena naquele estabelecimento prisional.

Na denúncia feita à Associação, os reclusos referiram que «as celas são pequenas e com três homens, não têm campainhas para casos de urgência, são muito frias e não têm janelas».

Além disso, «as Alas só têm uma casa de banho, com dois chuveiros, para 28 reclusos» e «caiem gotas, do cano de esgoto, sobre os reclusos, quando estes estão sentados na sanita, o que obriga a que usem um “guarda-chuva”», acrescentaram.

Segundo a APAR, o atual diretor do Estabelecimento Prisional de Braga, António José Machado Soares, «foi várias vezes informado pelos reclusos desta situação e nada fez para a resolver».

Contactada pelo Diário do Minho, a Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP) referiu que «não foi formalizada, nem junto da Direção nem junto da Chefia de Guardas deste Estabelecimento Prisional,  qualquer reclamação por parte de reclusos no que concerne a más condições de habitabilidade» do Estabelecimento Prisional de Braga». 

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up